Porque você deve utilizar o DRE gerencial no seu negócio

Tempo de leitura: 6 minutos

Porque você deve utilizar o DRE gerencial no seu negócio

O DRE gerencial para o seu negócio é tão essencial quanto a respiração para as pessoas! Afinal, fazer o demonstrativo de resultados do exercício de sua empresa deve ser uma atividade constante.

E não importa a sua posição dentro dos negócios. Se você é o profissional responsável pelo planejamento, ou pela controladoria, ou pelas finanças, ou até mesmo o dono da empresa, o DRE gerencial deve ser pautado em todas as suas conversas e ideias acerca do negócio.

Neste artigo, desenvolveremos por meio de tópicos as justificativas que farão compreender porque você deve utilizar o DRE gerencial no seu negócio, e assim ter uma maior visão de seus índices de lucros.

Mas, a princípio, o que é DRE e gerencial? Vamos esclarecer isso e muito mais! Continue lendo!

Entenda o que é DRE gerencial

O Demonstrativo de Resultados do Exercício, ou simplesmente DRE gerencial, é um relatório que sintetiza todas as atividades econômicas e financeiras, além das operacionais e não operacionais de sua empresa.

O relatório leva em consideração um período de tempo estabelecido, com vista a mostrar, de forma clara e precisa, como se comportou a sua empresa durante esse período.

Em linhas gerais, o DRE gerencial comporta todas as informações de forma mensal, ou semestral ou até mesmo anual a cerca dos lucros e até mesmo dos prejuízos em seu negócio.

A análise é feita mediante o exame das despesas e das receitas de sua empresa naquele determinado período de tempo.

Entenda a importância do DRE gerencial

Em conjunto aos demais demonstrativos da empresa, como o Fluxo de Caixa e o Balanço Patrimonial, o DRE gerencial é imprescindível para conhecer e avaliar a situação atual financeira e gerencial de sua empresa.

Dessa forma, é objetivo desse demonstrativo fornecer ao gestor da empresa uma visão sobre os principais fatores que afetam o negócio.

A ideia é conhecer a evolução de cada fator ao longo de um determinado tempo, além de conhecer a capacidade que sua empresa possui de gerar renda na forma de lucros, e os entraves que podem gerar prejuízos.

Com o DRE gerencial, torna-se possível estabelecer ferramentas de gerenciamento de projetos de forma a atingir a eficiência e a competência com visão de futuro tão necessários para o bom andamento dos negócios.

Conheça a estrutura de um DRE gerencial

Para se construir um DRE gerencial, você deve buscar as informações contábeis e gerenciais de sua empresa.

É importante obedecer ao princípio do Regimento de Competência, em que as despesas, os custos e as receitas serão listadas na data do fato gerador, ou seja, no dia em que ocorreram, sem observar a data do pagamento e do recebimento.

Pensando dessa forma, a estrutura de um DRE gerencial deve ser semelhante a que apresentamos na sequência:

+ receita de vendas
– deduções de impostos
= receita líquida

– custo variável (CPV ou CMV)
= margem bruta

– despesas variáveis
= margem de contribuição

– gastos com pessoal
– despesas operacionais
= EBITDA

– depreciação, amortização e exaustão
– outras receitas e despesas
= resultado operacional

– tributos
= resultado líquido

Cabe frisar que este modelo é uma base para que as empresas criem seu DRE gerencial. As informações podem ser incluídas ou excluídas, de modo que atenda às particularidades de seu negócio.

Explicando a estrutura do DRE gerencial apresentado

Para facilitar a compreensão, faremos uma rápida explicação acerca da criação e interpretação do DRE gerencial.

Na estrutura apresentada foram utilizados alguns sinais do tipo (+), (-) e (=). Para a compreensão, devemos interpretá-los como:

(+) referem as entradas
(-) representam as saídas
(=) dizem respeito aos resultados dos indicadores econômicos listados.

A ideia é criar um DRE gerencial flexível e de fácil compreensão até mesmo para aqueles que não possuem afinidades e conhecimentos suficientes na gestão financeira.

Dessa forma, explicaremos o significado de cada indicador econômico apresentado.

Receita de vendas

Nesse item você deve incluir toda a receita advinda da venda de seus produtos, da prestação de seus serviços e até mesmo do recebimento de royalties.

Deduções de impostos

Alguns impostos como o ISS e o ICMS incidem sobre a venda de produtos e a prestação de serviços.

Nesse indicador econômico, você indica os descontos e os abatimentos em relação a esses e outros impostos.

  • Receita líquida: É o resultado entre a Receita de vendas e as Deduções dos impostos.
  • Custo variável: Esse item refere a gastos feitos geralmente com a compra de insumos para fabricação de um produto ou os preparativos para a prestação de um serviço.

  • Margem bruta: É o resultado bruto entre a Receita líquida e os Custos variáveis.
  • Despesas variáveis: Diferem dos Custos variáveis por não estarem alinhadas à produção, mas sim, ao processo de distribuição, por exemplo.
  • Margem de contribuição: É o resultado entre a Margem bruta e as Despesas variáveis.
  • Gastos com pessoal: De fácil compreensão, referem aos pagamentos de salários aos funcionários.
  • Despesas operacionais: Referem aos gastos fixos com a água, energia, aluguel, telefone, etc.
  • EBITDA: Refere ao resultado operacional da empresa. Exclui-se as atividades não operacionais.
  • Depreciação, amortização ou exaustão: Refere a perda de valor dos ativos da empresa ao longo de um determinado tempo.
  • Outras receitas e despesas: Além das receitas e despesas fixas existem algumas que são aplicadas em certas épocas e momentos, a exemplo dos juros e das multas.
  • Resultado operacional: É o resultado de todas as contas anteriormente citadas.
  • Resultado líquido: É o resultado final da empresa. Com este resultado você conhecerá os reais gastos e perdas de sua empresa ao longo de um determinado tempo.

O DRE gerencial é de grande utilidade para sua empresa, ao permitir conhecer os reais gastos e perdas mensais, semestrais ou anuais.

Ao definir essa política de acompanhamento do estado de saúde do seu negócio, você terá possibilidades maiores de se antecipar aos possíveis erros e até mesmo corrigir os já existentes.

Além disso, poderá criar ferramentas que permitam fazer projeções de futuro e análises da evolução do seu negócio com vistas a aumentar as margens de lucro.